Buscar

Você sabe o que é neuromarketing?

Você já ouviu falar em neuromarketing? Nesse post, vamos te explicar o que é essa técnica e como colocá-la em prática. Confira!



Um dos principais objetivos do marketing atualmente, é entender melhor o seu público-alvo. Além disso, entender a mente humana é a resposta para muitas perguntas e o caminho para o sucesso.


É justamente isso que o marketing propõe, uma viagem para dentro da cabeça do consumidor!


O que é neuromarketing?


O neuromarketing é uma junção entre ciência e marketing. Tendo como base os estudos relacionados aos processos cerebrais e como eles desencadeiam.


O neuromarketing procura mensurar essas atividades neurobiológicas quando há exposição a marcas, propagandas e outras estratégias de marketing.


Essa técnica surgiu propriamente, para ser um complemente dos métodos de pesquisas tradicionais, trazendo a ciência para atuar diretamente com o marketing.


Tem o objetivo de realmente entender os desejos e necessidades, impulsos e reais motivações para adquirir algum produto ou serviço.


Já faz alguns anos que especialistas em marketing passaram a estudar o comportamento do consumidor. Isso porque, raramente, o hábito de compra é baseado em racionalidade.



O autor Martin Lindstrom, que estuda profundamente o comportamento do consumidor, afirma que 85% das compras são decididas pelo nosso subconsciente e emocionalmente.


Já a Forebrain, primeira empresa do Brasil que desenvolve pesquisa sobre neurociência relacionadas a atividades de consumo, afirma que 90% de qualquer tipo de informação que chega ao cérebro é processada de maneira inconsciente.


Isso quer dizer que é quase impossível saber como controlar a sua reação diante de alguma propaganda ou produto exposto no ponto de venda.


Neuromarketing – Gatilhos mentais


Os gatilhos mentais são palavras que acessam o cérebro emocional, disparando estado emocionais que provocam respostas automáticas do cérebro, muitas vezes inconscientemente.


O cérebro reage a estímulos e os gatilhos são palavras e situações que carregam um condicionamento da forma de  “estímulo resposta”. São palavras que geram confiança e distraem a parte do cérebro racional.


Gatilho mental da escassez


Frequentemente, ouvimos palavras que remetem a escassez, como “esse produto está no fim”, “este produto é o ultimo”, “só tem mais esse”.


Colecionadores pagam milhões por peças que são escassas. Um produto que foi produzido em pequena escala pode valer muito para algumas pessoas.


Gatilho mental da reciprocidade


Ideal para quem visita e negocia clientes. O ser humano tem predisposição em ser coerente em seus atos.


Assim, se alguém faz algo bom para você, a tendência é de fazer o mesmo por ele


Gatilho mental da afinidade

Fazer com o que seu público se identifique com a sua marca e conversar com ele no mesmo nível de afinidade é um jeito de estimular as vendas.


O cliente que compartilha suas experiências, medos e histórias se sente mais à vontade e esperançoso quando tem um vendedor que saiba escutá-lo.



Gatilho mental da curiosidade


O gatilho mental da curiosidade ativa um processo extremamente poderoso no cérebro.

Ele abre uma janela de pensamentos incompletos e o cérebro não desliga enquanto a informação que está faltando seja completada.


Esse estado faz com que a pessoa busque a informação de forma bem assertiva, fazendo com que a sua marca fique na mente do seu cliente ou faça ele executar uma ação que você tenha planejado.


Para ativar o gatilho da curiosidade procure dar informações incompletas que façam a pessoa querer saber mais sobre o que você está dizendo.


A pessoa satisfaz uma parte, porém ela vai buscar a parte que está faltando, e nesse momento você pode oferecer um produto ou serviço que a ajudará a completar o estágio.




Gatilho mental da prova social


A prova social nada mais é do que pessoas falando bem do seu produto ou serviço.

Trata-se de uma abordagem estratégica, na qual usamos o “reflexo” para fazer com que mais clientes comprem.


De acordo com o neuromarketing, um dos segredos para conquistar um bom número de vendas é mostrar ao consumidor o produto ou serviço sendo utilizado por outra pessoa.

A explicação é simples: Como somos seres sociais, costumamos acreditar e concordar com a maioria.


Se existe muita gente falando bem de uma coisa, a tendência é acreditarmos e seguirmos o que está sendo dito.


Gatilho mental da exclusividade


Todo ser humano, por natureza, gosta de se sentir especial e exclusivo. Por isso, o gatilho mental da exclusividade é um dos mais eficientes.


As pessoas amam exclusividade, edições limitadas, se sentirem valorizadas e tudo isso é revertido em gratidão para quem as valoriza.


Além da persuasão, a exclusividade é necessária para valorizar quem contribui para o seu trabalho, destacando-os como exclusivos.



Gatilho mental da segurança


Quando você tem confiança na hora de vender e sabe o que está dizendo, a percepção de segurança é projetada para o consumidor.


Isso é essencial na hora da venda, pois o cliente se sente encorajado e assegurado em comprar o seu produto ou serviço.


Gatilho da autoridade


Se você está oferecendo um serviço de marketing, um especialista na área falando bem de você, eliminará as dúvidas de se que você é capaz ou não de ajudar os seus consumidores.


A medida com que você se tornar uma autoridade em seu mercado, você também poderá utilizar isso para endossar outros produtos e o ciclo cresce de forma magnifica.


Por isso que a autoridade é um dos mais poderosos gatilhos mentais. Aliás, unir prova social à autoridade é uma ótima sacada.



Principais áreas de aplicação


  • Branding;

  • Design de produtos;

  • Tomada de decisão;

  • Efetividade da publicidade;

  • Efetividade do entretenimento;

  • Experiências on-line e off-line.


Como funciona o neuromarketing?


Com o neuromarketing, é possível localizar as áreas estimuladas no cérebro do consumidor ao ser exposto a um produto ou anúncio.


Quando ele reage, a máquina detecta as áreas cerebrais ativadas, além de analisar suas expressões faciais, dilatação das pupilas e batimentos cardíacos.


O cérebro é formado por três partes, sendo uma responsável pelo pensamento, outra pelos sentimentos e uma que toma decisões.


O neuromarketing analisa como essas três partes se relacionam no processo de tomada de decisão de compra.


Quais ações podem ser desenvolvidas com base no neuromarketing?


  • Precificação;

  • Cinco sentidos;

  • Vantagens extras.


Gostou das dicas? Acesse nosso site, www.promopress.com.br. No blog da Promopress Gráfica você encontra outras novidades sobre o mundo do marketing.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo